quinta-feira, 6 de abril de 2017

CONHEÇA O AYURVEDA

AYURVEDA - A CIÊNCIA DA VIDA 

Por Erick Schulz

*Diretor do Instituto de Cultura Hindu Naradeva Shala.



Nos dias atuais, os mais antigos livros sagrados Hindus, estão se tornando algo do interesse internacional, esses livros durante cinco mil anos, formaram a base de cura diferente de qualquer outro. Seus criadores o chamam de ciência da vida ou Ayurveda.
Mas recentemente, o Ayurveda vem ganhando espaço como filosofia, estilo de vida, e sistema de cura além das fronteiras Hindus.

Médicos e terapeutas ocidentais, buscam no oriente maneiras “alternativas” ou complementares de se tratar a saúde. Essa busca leva a manuscritos contendo ensinamentos milenares na India. Buscando desta maneira acrescentar uma forma singular de manutenção da saúde.

Os cientistas estão agora examinando mais atentamente esta tradição, tentando entender melhor como o Ayurveda funciona, e que promessas podem trazer para o futuro.

Do outro lado do mundo, na Índia contemporânea, a maneira de aplicar o Ayurveda continua da mesma maneira, como há milhares de anos.

O costume local de vários Vaidyas (Médico Ayurveda) se divide em, acordar todos os dias a partir as 04hs da manhã, e se debruçar sobre os textos em sanskrito (os Vedas, forma original de onde surgiram os demais tratados), tentando decifrar a complexidade dos seus versos.

O trabalho da vida de um Vaidya um dia se completa, ele produzira um manuscrito abordando os princípios do Ayurveda, para poder compartilhar com seu povo esses preciosos conhecimentos da ciência indiana da cura, enquanto outros Vaidya se ocupam atendendo a grande população, por meio de consultas e aplicando tratamentos em hospitais e clínicas particulares.

O Ayurveda nas mãos desses especialistas parecem simples mais não é. As raízes do Ayurveda apontam para uma ciência profunda que transpõe os séculos.

O INDIVÍDUO EM SUA FORMA INTEGRAL

Nas famílias Hindus, um mês após o nascimento de uma criança é realizada uma cerimônia simples, na qual o pai senta o recém nascido em seu colo e sussurra o nome da criança em seu ouvido. Mas nesta altura o bebê já tem seu Dosha ou código energético original marcado como se fosse uma impressão genética personalizada.
Os cinco elementos básicos, que são éter, o ar, o fogo, a água e a terra, manifestam-se no corpo humano segundo três princípios básicos, denominados como Vata, Pitta e Kapha, os Doshas.

O Dosha Vata manifesta-se a partir dos elementos Éter e Ar; Já o Pitta manifesta-se principalmente pelo elemento fogo e o Kapha, pelos elementos terra e água.
Todos os seres humanos têm consigo os três Doshas, que definem sua constituição física. Quando estes estão em harmonia, o organismo está saudável, da mesma forma quando desarmonizados, o corpo fica doente.

Superficialmente pode parecer estranho e, até mesmo incompreensível, uma forma de busca de saúde que não envolva radiografias, medicamento e nem cirurgias possa ser eficaz no combate as doenças. Mas a base do Ayurveda é muito diferente da medicina moderna.

Assim como a medicina ocidental que usa a radiografia e tomografias para analisar a fisiologia de uma pessoa, o Ayurveda tem suas próprias ferramentas de diagnostico.

No Ayurveda os olhos a língua, os lábios e as unhas do paciente, são indicadores nítidos de saúde. A leitura do pulso ou Nadi, em particular, é considerada uma das principais ferramentas de diagnóstico do Vaidya. Afirma-se, inclusive que, médicos excepcionais, conseguem definir o tempo de vida através do pulso. Mas por trás dessa declaração há a ciência do Ayurveda. O pulso é literalmente a linha da vida do corpo de uma pessoa. É uma raiz que permite ao especialista analisar o estado de saúde dela. A medicina moderna pode perceber algumas coisas pelo ritmo cardíaco, mas o sistema ayurvédico revela-se e consegue mostrar se os órgãos vitais estão trabalhando corretamente.

No Ayurveda o pulso pode ser classificado em 108 variedades diferentes. As mais comuns são a cobra, que descreve um pulso rápido, o sapo, um pulso errático, e o cisne caracterizado por um pulso lento e constante.

Cada informação contribui para dar ao médico uma imagem completa da saúde pessoa.

Embora pareça estranho que tanta informação seja colhida por meio apenas do pulso da pessoa, os primeiros médicos ayurvédicos conseguiam decifrar o corpo humano de um modo intrincado, com base em cuidadosas observações.

Sem a ajuda dos raios-x, microscópios e outras ferramentas que não os próprios sentidos, parecem que os antigos e atuais especialistas ayurvédicos dominaram a habilidade de entender e diagnosticar o corpo humano, através da observação de suas ações e reações a vários elementos da natureza humana.

Uma realização notável para um povo que não tinha meios de examinar diretamente a estrutura celular e que até hoje deixa os cientistas desconcertados.
Por meio de um diagnostico profundo realizado por um Vaidya é identificado o dosha original conhecido como Pakriti e se existe alguma desarmonia no organismo, denominado Vikriti. A partir desses dados o Vaidya monta um programa de tratamento que poderá envolver desde uma simples reestrutura no dia a dia, com a alimentação, horário de realização das atividades, chás ou incluir no programa os Pancha Karmas.

Pancha Karma abrange varias terapias de purificação e seu objetivo é eliminar as toxinas e dar ao corpo o poder de se curar sozinho. A forma de preparação deste tratamento profundo é quase ilimitada podendo ser realizada em uma forma de oleação externa incluindo massagens e banhos de óleos, prática de sudorese onde leva o corpo a eliminar toxinas através do suor como também através de uma alimentação regrada e a utilização de ervas.

Em Sanskrito Pancha Karma significa as cinco terapias de purificação.
Normalmente sendo realizado em locais especializados e por pessoas com larga experiência, o tratamento consistem desde lavagens, purgação e gotas nasais. O Pancha Karma trabalha de forma abrangente em longo prazo, refletindo a natureza gradual da cura ayurvédica.
Related Posts with Thumbnails